Fala sério, por favor

Amem o futebol. Perdesse hoje o Flamengo para o Íbis, um time que, assim como o Palmeiras, ou o Terceirense, ou o Asco, que não têm mundial, toda a arco-íris estaria igualmente se regojizando. A democracia que falta no Brasil está lindamente representada no esporte bretão onde todos tem vez, nem que seja compartilhando aqueles memes ridículos reaproveitados pelos que tem preguiça, ou incompetência, de se manifestar por si só.

Quadradinho

Meu pai conta que ele, tricolor, ficava de cara quando eu, pirralhinho, apontava e sorria para os caras de vermelho e preto diante dos jogos na televisão: paixão rubro-negra. Amigo fissurado em carros e motos me mostrando suas revistas importadas e, com isso, fazendo brilhar meus olhos e criando uma paixão por motores. As ondas do dial no meu velho walkmen ecoando os programas Mack Twist e Novas Tendências na Fluminense FM, bagunçando meu sistema nervoso e me apontando um mundo incrível ante à mesmice então reinante: paixão pela música alternativa e, consequentemente, pelo cinema out hollywood. A despretensiosa compra de uma magrela de duas rodas para ir trabalhar que de repente me atiça ir cada vez mais longe e a minha paixão por pedalar. Um brinde com um amigo com uma cerveja belga presenteada e a descoberta de que havia muito mais a explorar naquele mundo maravilhosamente etílico que eu já vivia.

Eu lembro (claro) de toda essa velharia mas não sei bem onde exatamente começou minha paixão por quadrinhos, a maravilhosa arte sequencial desenhada. Mas é mais que sabido que “desde criança só lemos os quadrinhos nos jornais”

Ah, hoje é o dia do Quadrinho Nacional 🙂

Dia do Quadrinho Nacional

Dia do Quadrinho Nacional

Deutschland

Escrevo essas mirradas antes da semifinal entre BRA e GER, já que nada falei por aqui da Copinha do Blatter (by Maurício Ronca-Ronca). Tenho comigo que um cara que é tão apaixonado por um clube não liga muito pra Seleção Brasileira. Os malucos que tatuam escudos tão nem aí pra Copa do Mundo. Mas no momento quero saudar os germânicos:

alemanha01

alemanha02

alemanha03

Ou seja, haja o que houver eu tô na moral!

Mártir de nada

Enquanto nós estamos aqui, diante de nossos computadores, celulares e tablets, nos entupindo de informação inócua, achincalhando gente como a gente, compartilhando um monte de piadinhas sem graça, babando com coisas que nunca teremos, uma senhora boliviana, que largou sua miserável aldeia para trabalhar 14 horas por dia em um fétido quarto na maior metrópole de um país escroto, mas menos escroto que o dela, resolve voltar para casa. O motivo: os malucões, mermão, querem grana, precisam cheirar, precisam de Nike Shox, querem i-isso e i-aquilo, querem aquela vida bandida que uns adoram endeusar, funkear, american-style para o Esquenta. Nem que para isso um moleque de 5 anos com cara de índio, pobre e fudido, tenha que levar um tiro no meio da testa. Deus terá misericórdia dirão uns. Deus não existe dirão outros (eu!). Domingo tem jogo, férias de julho, vida que segue. Os pais do tal moleque, agora um cadáver, resolvem voltar para a sua aldeia, no país que cultiva em cada quintal aquele pó branco que os preiba precisa muito, nem que para isso …

Olimpíada

Não, não teremos The Who, Madness, Blur ou Ray Davies nas festas de abertura e encerramento da Rio2016. E sim muito samba e axé. Mas isso é um “problema” de gosto pessoal. Acho que temos expertise suficiente para fazer festas tão bonitas quanto essas. Só não entendo essas reclamações quanto a nossos esterótipos. O cidadão compra um abadá, pedaço de pano a preço de ouro, se empaturra de cerveja ruim e quente no meio de uma multidão e, pela internet, óbvio, fica reclamando de “esterótipos brasileiros”? Nós somos assim e ponto. Talking ‘bout my fucking brazilian generation.

O cara

O rock do novo milênio anda horrível, chato, previsível, sem criatividade alguma e totalmente transformado em mera trilha sonora de campanhas publicitárias? Jack White, o sujeito que deu ao mundo bandas fodásticas como White Stripes e The Raconteurs, é a salvação da lavoura. Sério. O cara não é desse planeta. E aos trinta e seis anos de idade, mostra que está na sua melhor forma e no auge da sua maturidade musical. Quem duvidar que ouça “Blunderbuss”, sua esperadíssima estréia solo.
Do blog do Finatti.
Bem, eu estava lá quando ele se “casou” no Encontro das Águas, em Manaus e, no dia seguinte, fez todo mundo que assistia o show do White Stripes, sair do Teatro Amazonas pra vê-lo tocar do lado de fora e voltar correndo para encerrar com uma versão acachapante de Seven Nation Army (a melhor música do século?).

Não sei de nada, só sei que só hoje eu já devo ter ouvido “Poor Boy” umas vinte vezes.

Os números de 2010

Os duendes das estatísticas do WordPress.com analisaram o desempenho deste blog em 2010 e apresentam-lhe aqui um resumo de alto nível da saúde do seu blog:

Healthy blog!

O Blog-Health-o-Meter™ indica: Mais fresco do que nunca.

Números apetitosos

Imagem de destaque

Um Boeing 747-400 transporta 416 passageiros. Este blog foi visitado cerca de 9,500 vezes em 2010. Ou seja, cerca de 23 747s cheios.

In 2010, there were 52 new posts, growing the total archive of this blog to 465 posts. Fez upload de 60 imagens, ocupando um total de 6mb. Isso equivale a cerca de uma imagem por semana.

The busiest day of the year was 5 de agosto with 98 views. The most popular post that day was Sempre.

De onde vieram?

Os sites que mais tráfego lhe enviaram em 2010 foram WordPress Dashboard, google.com.br, rockformasses2.blogspot.com, blogger.com e br-linux.org

Alguns visitantes vieram dos motores de busca, sobretudo por tux, flamengo wallpaper, fiat 500, novo fusca e diy

Atracções em 2010

Estes são os artigos e páginas mais visitados em 2010.

1

Sempre dezembro, 2009
1 comentário

2

O neto do Topolino outubro, 2007
3 comentários

3

O Tux é pop setembro, 2008

4

Musa do Brasileirão agosto, 2008
4 comentários

5

Mais um novo Fusca setembro, 2007
4 comentários

Creative Commons?

“A Creative Commons é mais uma daquelas idéias, como comunismo, anarquia, casa de praia e sexo grupal, que na prática não funcionam tão bem quanto na teoria.”, foi que o disse o Cardoso.

E eu que confesso que nunca me entendi bem com toda aquela confusão de licenças, só posso concordar. Sorte minha não me pretender um problogger!